Fundação Portugal África

Em 1996, o governo moçambicano solicitou à Fundação Portugal África (FPA) a apresentação de um estudo com vista à reestruturação do ensino das “artes e ofícios” ministrado nas Escolas de Artes e Ofícios (EAO) espalhadas por todo o país mas desativadas por força do conflito armado que Moçambique viria a sofrer pouco depois da sua independência.

Desde então é institucionalmente a entidade executora do programa, em articulação com o IPAD, o MINED, O MEC de Portugal, e outros.

Última alteração: quinta-feira, 14 junho 2012, 17:19
Seguir para a frente de Navegação

Navegação