Outros Apoios Institucionais

  • Ministério da Educação e Ciência de Portugal (MEC)

Desde 2001 que o MEC tem tido um significativo e relevante apoio neste projeto.

Logo em 2001 disponibilizou dois professores consultores para, em Maputo, iniciaram a sua operacionalização. Neste momento o MEC assegura através de 11 escolas profissionais portuguesas a formação técnica de 44 alunos moçambicanos, futuros formadores nas escolas profissionais de Moçambique.

A Rede de Bibliotecas Escolares também fez ofertas de bibliotecas a 3 escolas profissionais, promoveu formação específica dos seus responsáveis e ofereceu programas informáticos de gestão.

  •  Fundação Calouste Gulbenkian (FCG)

A FPA apoiou este projeto com a concessão de verbas para a sua operacionalização e para a aquisição de bibliotecas escolares.

  •  Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP)

O IEFP facultou, nos anos de 2002 e 2006,  a realização de cursos de aperfeiçoamento e atualização profissional de professores moçambicanos de especialidades técnicas no Centro de Formação Profissional do Porto (Cerco).

  • Universidade Católica Porto (UC)

Tem sido a Universidade Católica do Porto um parceiro muito ativo neste projeto,  disponibilizando professores especialistas para, em Moçambique, prepararem pedagogicamente professores moçambicanos (temas transversais, tais como; “Projeto Educativo de Escola”, “Avaliação Interna de Escolas” e “Avaliação e Progressão Modulares”). Fez, ainda, a preparação das Equipas Locais de Implementação e Desenvolvimento das Escolas Profissionais – ELIDEP’s  – ministrando aos seus elementos um Curso de Especialização em Administração Escolar e Gestão da Formação –CEAEGeFO – que os dotou de competências para o exercício de funções de apoio e de supervisão a escolas profissionais já existentes ou em fase de entrada em funcionamento.

De Setembro a Dezembro de 2012 a UCP vai ministrar a 20 dos alunos bolseiros que estudam em escolas profissionais portuguesas um curso pedagógico que os dotará de competências para o exercício de funções docentes em Moçambique.

  •  Fundação Portugal Telecom (FPT)

A Fundação Portugal Telecom fez a oferta ao projecto de 284 computadores desktop e de 40 computadores portáteis

  •  ISSO – Inovação Social e Solidária

Através do Programa KUTIVA ( que significa “saber” /conhecimento” em changana) o projeto recebeu dois contentores de material diverso: livros, material informático, laboratorial e oficinal, que será distribuído por escolas profissionais moçambicanas. Este programa é dinamizado em Portugal por um conjunto de professores aposentados que inventariam as doações, fazem as recolhas e as expedem para Moçambique.

  • Editora LEYA

A Editora LEYA apoiou com 200 000,00 Meticais a publicação da revista “Tecnicando”

  • Escolas Profissionais Portuguesas

Onze escolas profissionais portuguesas acolhem 44 alunos moçambicanos em formação profissional e têm colaborado no aperfeiçoamento profissional de professores moçambicanos. Decorre neste momento o Programa “Laços de Lusofonia” que envolve num programa de geminação de cinco escolas portuguesas e cinco escolas moçambicanas.

Última alteração: quinta-feira, 14 junho 2012, 17:20
Seguir para a frente de Navegação

Navegação