Depoimentos

Dirigentes

  • O balanço que eu faço é, sem duvida nenhuma, muito positivo, não só pelo que conseguimos alcançar até este momento. (...) Tantas escolas profissionais já em funcionamento e com bons resultados, vieram chamar-nos a atenção para a necessidade efectiva de alagarmos o mais possível a implantação destas escolas”

                (Ministro Aires Ali – Revistas Tecnicando nºs 3 e 4 /2009)

  • “(...) Estes três factos, um de natureza política, forte, do discurso oficial do Presidente da República e do Governo, o segundo através de uma Reforma que já está nalgumas províncias e o terceiro que é um facto real, [a existência de] escolas profissionais que funcionam com bom aproveitamento, com bons resultados, começão a trazer uma imagem completamente nova, distinta, sobre a grande importância do Ensino Técnico e da Educação Profissional...”

                (Ministro Zeferino Martins – Revista Tecnicando nº 5/2010

 

Parceiros

  • Sabemos que é intenção do Governo Moçambicano de vir a ter uma escola profissional por cada distrito do vasto país que é Moçambique.

                    Missão árdua, mas não impossível.

                    (Mário Soares – Presidente do CA da Fundação Portugal África – in Escolas Profissionais de Moçambique - Para Memória Futura – Dez Anos a Acreditar)

  • Onze anos depois dos primeiros trabalhos no terreno as escolas profissionais estão a crescer todos os anos, congregando a iniciativa de doadores, ONG, Igrejas, além da oferta do Estado. A onda de qualificação de jovens, que é uma onda de esperança, vai ganhando consitência e beleza e não pára de refrescar a areia sedenta que é o desenvolvimento humano.

                    (Joaquim Azevedo – Professor Universitário – Universidade Católica Portuguesa – Fundação Portugal África – in “Escolas Profissionais de Moçambique - Para Memória Futura – Dez Anos a  Acreditar”

 

Directores

  • (...)Este modelo de progressão modular e com o realcionamento que temos com a comunidade, nós não perdemos alunos em termos de reprovações, todo o aluno que entra aqui (...) sai com sucesso.(...) Os que atrasam são recuperados. (...) É a pedagogia diferenciada que faz estes milagres!”

                    (Benjamim Poligardo Director EPIM – Revista Tecnicando nº 1/2008)

 

  • “(...) este modelo de ensino é de facto inovador, e tem tanto de importante como de útil para o nosso país”

                     (Manuel Pondja – Director da EPSFA - Revista Tecnicando nº 0/2008)

Alunos

  • Aqui aprendemos por módulos. É melhor. Aprendemos aos “bocadinhos” e os professores fazem-nos entender a matéria(...) Os professores explicam duma maneira adequada a cada aluno e todos ficamos a entender”

                    (Aluna Muaziza – EPIM -Revista Tecnicando nº 1/2008)

  • “E aqui é diferente, sinto-me bem, gosto de agropecuária, gosto de trabalhar na terra, aprendo melhor neste sistema modular(...)”

                   (Elton Rimas EPAC -Revista Tecnicando nº 5/2010)

Formadores

  • “ A adopção do modelo curricular modular (...) implicou a sua contextualização à realidade sócio-económica, cultura e profissional nacional e local(...)

                    (Luísa Orvalho – Professora UCP – Revista Tenicando nº 1/2008)

 

  • “Ao longo da minha presença, pude sentir e percepcionar que as realidades donde emergem as escolas profissionais são muito heterogéneas e que esta diversidade pode ser uma fonte de riqueza(...)

                    (José Matias Alves – Investigador UCP – Revista Tecnicando nº 6/2011)

Última alteração: quinta-feira, 14 junho 2012, 17:39
Seguir para a frente de Navegação

Navegação